A Arte de Escrever!



“Com a minha própria mão escrevo isto: Saudações de Paulo. É assim que assino todas as minhas cartas; é assim que escrevo.” II Tessalonicenses 3:17

Começo esse texto, observando essa passagem muito significativa que encontramos na Carta aos Tessalonicenses, escrita por Paulo, onde identificamos o seu cuidado com os irmãos de Tessalônica, bem como a sua marca registrada, na autenticidade de seus pensamentos.

Ora, escrever é um ato de muita responsabilidade, demonstra autoridade em um determinado assunto e um conhecimento que é passado através de palavras,  onde a colocação muitas vezes de uma pontuação dentro de uma frase, fora de contexto e com outro significado, pode causar sérios transtornos, assim como uma errônia interpretação dos fatos.

Através da escrita, podemos demonstrar realmente como somos, o que pensamos e  como agimos. É um compromisso com o nosso próprio “eu”, indicando os nossos valores, crenças e nos posicionando dentro daquilo que acreditamos.

Não vou me deter às caracteristicas dos varios escritos de Paulo, mas vou pegar como referência a forma carinhosa e o cuidado do apóstolo, quando passava os ensinos de Jesus aos irmãos de toda a Igreja de Deus.

Esse jeito de escrever e de se comunicar tão bem com as palavras, nos mostra realmente que é importante a correta colocação das palavras, para transmitir com eficácia uma mensagem.

Para toda mensagem, tem um receptor que interpretará de acordo com o seu entendimento, cada linha que fora escrita. Portanto, escrever além de ser um ato de conhecimento em determinada área, é também uma arte que deve ser desenvolvida.

Para entendermos o que a arte da escrita pode nos dizer, vejamos alguns conceitos:

Arte: É a atividade humana ligada a manifestações de ordem estética, feita por artistas a partir de percepção, emoções e ideias, com o objetivo de estimular esse interesse de consciência em um ou mais espectadores, e cada obra de arte possui um significado único e diferente.

Escrever: Ato de representar por meio de caracteres ou sinais gráficos um pensamento.

Logo, a Arte de Escrever, é transferir para o papel o seu pensamento de forma estética, ou seja, com uma beleza que traduz as suas emoções, despertando um sentimento de quem lê.

Escrever é a forma mais sublime de expressar seus próprios sentimentos, mesmo quando no seu texto o personagem é outra pessoa.

É quando você se depara com situações dentro do seu cotidiano, se resguarda e começa a desenvolver dentro de você, o processo de criação do texto. Pode ser um drama, um suspense, uma história real com personagens reais, ou uma ficção que vai transportar o leitor, para bem longe de sua realidade temporariamente. É uma explosão de sentimentos que se misturam ao ponto de gerar expectativas diferentes, levando cada um de nós a interagir com a história que se está lendo. São emoções que nos fazem chorar, rir e compartilhar ensinos e descobertas na leitura de cada frase escrita.

E esse sentimento que é gerido dentro do  leitor, está implícito no próprio sentimento do escritor, que vive cada palavra descrita na sua página da vida.

Viver essa troca de experiência é que faz ser real as emoções contidas em cada linha de um texto, como este que você está lendo agora, que lhe dá informações precisas em relação ao assunto aqui descrito.

O escritor é um artista que vive o que escreve e escreve o que vive, mesmo que nos meio de cada palavra, seja omitido, muitas vezes, as suas ações reais, mas que retrata cada pensamento escondido nas entrelinhas da sua vontade. O que você fala, nem sempre é o que você pensa, mas quando você pensa algo que não sabe falar, é na escrita que os maiores artistas escritores, podem se expressar de uma maneira clara e objetiva para todos os leitores, apaixonados pelas letras.

Escrever é uma forma de comunicação direta, às vezes até impessoal, mas muitas vezes relata o que realmente está sentindo.

Agora, há de se pensar que o escritor, é uma pessoa solitária, ou difícil de se relacionar, mas o que posso dizer em palavras salteadas, vindas de dentro da minha alma, é que não! Não penso que somos solitários, muito pelo contrário, nós expressamos aquilo que muita gente não consegue falar e às vezes está sentindo.  Traduzimos sentimentos através de observações e convivências com outras pessoas, relacionamentos que nos acrescentam e fazem a gente aprender a viver melhor e entender o real sentido da vida.

No mais, só quero finalizar com a seguinte citação das Sagradas Escrituras, a respeito da importância de realizar algo que te dá tanto prazer:

“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa,
façam tudo para a glória de Deus.” 
1 Coríntios 10:31

Até no ato de escrever, devemos pensar na edificação daqueles que vão ler!






Márcia Morais, Radialista, Bacharel em Teologia com ênfase no Judaísmo Messiânico, Especialista em Aconselhamento Cristão e Pastoral. Pós-Graduação em Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica em Formação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Coração Quebrantado

Qual sua Essência?

Saudade...