A Hora Esplendorosa de Ester





O propósito da vida não é escapar do sofrimento que ele nos traz, mas suportá-lo e vencê-lo, enquanto aprendemos as lições que só a dor pode ensinar-nos” (Swindoll, Charles R. Heróis da Fé: Ester, uma mulher de sensibilidade e coragem)


É magnífica essa frase que foi escolhida para abrir o nosso texto, como forma de exemplificar o momento com muito esplendor que a nossa protagonista Ester realiza num ato surpreendente quando diante de uma situação colocada em suas mãos, toma a maior decisão de sua vida, que mudará o curso da história de seu povo.

O texto que vamos analisar agora é o sexto capítulo do livro de Charles R. Swindoll, segundo volume da série de estudos biográficos sobre personagens bíblicos intitulada “Heróis da Fé”, que traz como personalidade a rainha Ester.


Neste capítulo, nós encontramos o ápice da história que culminou na salvação do povo judeu, em meio à morte. Para entendermos, vamos conhecer quem era a rainha Ester.

Situado dentro do Antigo Testamento, mais precisamente nos chamados livros históricos, o livro de Ester conta a história de uma judia que se casou com o rei do império persa de nome Assuero e que num determinado momento, mesmo sem conter nenhum pronunciamento do nome de Deus ao longo da história, a judia que se tornara rainha. Foi uma providência divina para o povo de Israel, pós-exílio.

O povo que estava sob o domínio persa era confrontado com a cultura e religião da Pérsia na adoração de outros deuses e humilhação diante das autoridades do governo, como a reverência especialmente ao ministro Hamã, por Mondercai, o primo que havia adotado Ester quando seus pais morreram, no qual não se curvou perante o ministro, irritando-o profundamente e gerando em seu coração o desejo de eliminar todos os judeus de todo o império persa. É quando aparece Ester, até então já desposada como rainha, no lugar de Vasti, que é avisada por Mondercai pelo decreto cruel contra seu povo, lhe colocando como uma verdadeira intercessora.

Este é o pano de fundo de uma história que até hoje é contada na comunidade judaica, durante a festa de Purim, que lembra o livramento dos judeus das mãos dos inimigos. (Et 9:20-22)

"Vá reunir todos os judeus que estão em Susã, e jejuem em meu favor. Não comam nem bebam durante três dias e três noites. Eu e minhas criadas jejuaremos como vocês. Depois disso irei ao rei, ainda que seja contra a lei. Se eu tiver que morrer, morrerei". (Ester 4:16)

Que coragem vinda dessa mulher que até então soubera que o seu povo estava perto de morrer e mesmo assim tomou a sábia decisão de orar e jejuar na presença do Senhor por uma causa que estava em suas mãos e conclamou todos a intercederem por um propósito comum, o livramento do povo.
Diante de uma situação tão desesperadora, essa mulher manteve a calma e através da dor conseguiu extrair lições grandiosas, dentro da sabedoria de Deus em nos guiar e direcionar pelos caminhos que nos levam direto para a Sua Vontade.

O capítulo aborda a posição de várias pessoas que, assim como Ester, tiveram que tomar uma decisão com determinação e coragem, diante de situações de extremo sofrimento e dor. Dentre eles, encontramos Martinho Lutero durante a sua retratação na Dieta de Worms; Madre Tereza, a freira de Caucutá que falou diante de autoridades em Washington; DC sobre um assunto tão delicado que é o aborto, mantendo-se em sua posição, sempre contra.




Assim, o autor nos coloca na reflexão em nosso dia a dia e nos faz pensar se os nossos filhos estão sendo criados dessa forma, com essa coragem tão destemida que essas pessoas se posicionaram diante das adversidades, através da formação do caráter. E podemos ir mais além. Será que vivemos dentro de uma sociedade que as convicções, valores e princípios estão sendo defendidos da forma correta e verdadeira, ou será que não passa apenas por ideologias criadas por pessoas que conduzem uma população através de projetos que visam benefícios próprios e não para o bem da massa? Precisamos pensar e refletir sobre tudo que ocorre ao nosso redor e na sociedade. Sentimentos de lutas e ideais devem ser expostos e apresentados de modo que todo um povo seja beneficiado e não a minoria.

Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa”(Isaías 41:10)

Quando paramos para ler com calma esse versículo de Isaías, conseguimos entender o que Ester havia pensado quando resolve crer e esperar o melhor momento para agir, pois Deus estava com ela. A oração é uma junção das palavras orar e ação, ou seja, oramos e agimos sem interferir na decisão do Senhor, muito pelo contrário, a nossa ação é esperar em Deus.


Assim o autor destaca quatro princípios relevantes para a nossa vida, quando achamos que nada está acontecendo e que Deus parece estar em silêncio. Aí estão elas:

  1. Ao preparar-se para um evento sem precedentes, aguarde no Senhor antes de participar deles.
  2. Ao lidar com alguém imprevisível, conte com o Senhor para abrir portas e corações.
  3. Quando estiver envolvido numa situação desagradável, confie no Senhor para perseverar na paciência.
  4. Quando tiver que enfrentar um inimigo sem princípios, peça ao Senhor coragem invencível.

Para finalizar, depois de uma explanação acerca deste capítulo, deixo uma pequena reflexão para que possamos todos entender a importância de uma oração.

Deus quer ter intimidade com cada um de nós, e sempre será colocado diante da gente situações onde nos levarão a confrontar os nossos medos e decepções ao ponto de nos rendermos à dependência do Todo Poderoso. Como afirma Swindoll, uma oração é uma ótima maneira de terminar um capítulo tão emocionante. E acrescenta: Ester teve sua hora esplendorosa quando tudo parecia escuro.

E você? Qual oportunidade está esperando para acontecer algo que possa mudar a sua vida? Ou será que essa hora já apareceu e você deixou escapar? Lembre-se que Deus está contigo e que oportunidades aparecerão em que você será direcionado pelo Senhor a agir a favor de algo ou de alguém. Então não perca tempo. Entregue-se ao Altíssimo e deixe que sua vida seja usada em prol da dependência que você tem em Deus, e assim o propósito do Senhor em sua vida estará dentro da Vontade Divina.


Deus abençoe a todos.



por Márcia Morais
Coluna LEITURA DINÂMICA
Revista Mandamentos - Edição 3 - ano 2013



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Saudade...

Qual sua Essência?

Coração Quebrantado